Coronavírus: o poder público de Ijuí lava as mãos para as necessidades da periferia

  • by

Lá se vão 28 dias desde o primeiro decreto municipal com medidas para isolamento, distanciamento e restrições por causa da pandemia. Em todo esse tempo, não vi uma ação contundente dos órgãos governamentais locais para proteção e assistência à população mais pobre e mais necessitada de Ijuí. É nesses lugares que o problema é mais agudo. Se o coronavírus chegar, ou melhor dizendo, quando ele chegar às periferias, essa população é a que mais vai sofrer.

A desigualdade social está sendo evidenciada como em poucos momentos na história do nosso País e em Ijuí não é diferente. Pesquisa realizada pela ONG Visão Mundial, em periferias de seis Estados brasileiros, revelou que 83% dos entrevistados se sentem inseguros diante da pandemia e apenas uma parte consegue seguir as orientações de isolamento social. Isso por que a necessidade de trabalhar para o sustento é muito mais imediata e as moradias pequenas – ou a falta de moradias – são uma dura realidade. E Ijuí não é diferente. 

periferia é onde temos mais problemas de saneamento básico, mais problemas de infraestrutura pública, onde temos mais problemas de habitação. É justamente aí que temos de dar atenção especial. Não é possível ficar apenas no discurso amplo sobre a necessidade de ficar em casa, do isolamento e distanciamento social. Falar em isolamento é mais fácil quando moramos em confortáveis casas com 100m², com amplo pátio e poucas pessoas dividindo o teto. Experimente falar sobre isolamento para quem mora numa casa de 40m² com seis ou mais pessoas de diferentes idades e condições de saúde, todas morando embaixo do mesmo e pequeno teto. 

Eu sei da realidade sobre a qual estou falando, quanto mais nos deslocamos para os bairros periféricos, mais difícil é falar em isolamento. Esta é uma palavra estranha na periferia da cidade. São culpados? Não! Não queiram jogar a culpa nas pessoas que não conseguem praticar o isolamento não por se negarem, mas porque a realidade é outra. E pergunto: qual o papel do poder público municipal, de prefeitura e vereadores, neste momento? Ou melhor: qual a mobilização que estão fazendo juntos? 

As notícias que se têm, muitas, são sobre ações solidárias, dos mais diversos tipos. É muita gente da comunidade se mobilizando para doar alimentos, itens de higiene, refeições ou cestas básicas. Isso é sensacional e nos dá esperanças em relação à humanidade como um todo. Mas não é o suficiente!

A realidade é que as periferias de nossa cidade estão “a Deus dará”, entregues à sorte ou à boa-vontade e voluntarismo – o que não é, nem de longe, suficiente; apesar das boas e honestas intenções de todos nós enquanto cidadãos.

A Prefeitura de Ijuí deveria oferecer informação adequada a essas comunidades, como uma cartilha sobre medidas de organização mínima e convívio na habitação. Poderia disponibilizar kits emergenciais de higiene com sabão, álcool em gel e máscaras. Poderia mapear os moradores de periferias com sinais da Covid-19 e pensar em deslocar essas pessoas, ou os idosos, para áreas de segurança. Seria possível, também, dar suporte às famílias, principalmente às mães, que estão com suas crianças em casa e não têm como parar de trabalhar. Essas são só algumas ideias, amplamente divulgadas nas redes sociais, nos veículos de comunicação, em pesquisas e artigos de instituições ligadas a área social ou da saúde.  

Enfim, se eu tenho acesso a essas sugestões e inclusive às faço como proposições, acredito que prefeito e vereadores também o tenham. Mas, quase um mês após o primeiro decreto municipal, não tenho notícias sobre uma ação estratégica, articulada aos diversos setores, em nível municipal e com recursos públicos, para combater a chegada do Coronavírus na periferia de Ijuí. Tanto o poder público Executivo quanto o Legislativo têm essa responsabilidade e, nesse caso, não adianta lavarem as mãos.

Fonte: https://bira.blog.br/2020/04/13/coronavirus-o-poder-publico-de-ijui-lava-as-maos-para-as-necessidades-da-periferia/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *